VOCÊ SABE O QUE ACONTECEU NO ÚLTIMO EPISÓDIO DE CHAVES?

VOCÊ SABE O QUE ACONTECEU NO ÚLTIMO EPISÓDIO DE CHAVES?

Afinal, qual foi o último episódio de “Chaves”? Essa questão não é tão simples de se responder, especialmente para o público brasileiro, já que o seriado transmitido ad nauseam diariamente pelo SBT desde 1984 não teve seus capítulos exibidos na ordem original.

Publicidade

Salvo algumas situações de episódios efetivamente ligados entre si – caso da viagem à Acapulco -, a grande maioria dos episódios chegaram ao público de maneira completamente aleatória.

Sendo assim, é possível se basear somente na exibição original mexicana. Ao todo, “Chaves” teve 312 episódios, exibidos originalmente entre 26 de fevereiro de 1973 e 7 de janeiro de 1980 – alguns deles não foram transmitidos em outros países além do México. Passado esse período, a Televisa – emissora mexicana que exibia o seriado – decidiu que “Chaves” não teria mais um horário próprio em sua grade, se tornando um quadro do programa “Chespirito”.

O fim melancólico

O último episódio da série foi “A máquina de lavar” (também chamado de “Antes um tanque que funcionando do que uma lavadora encrencada” no Brasil, em sua redublagem), que fechou a sétima temporada do seriado no México. É um episódio como qualquer outro e, curiosamente, foi exibido no Brasil durante o primeiro ano de “Chaves” por aqui.

Nele, Dona Florinda resolve comprar uma máquina de lavar roupas para não precisar disputar o tanque da vila com Dona Clotilde e Dona Neves – a avó da Chiquinha. O eletrodoméstico cria alvoroço na vila e, claro, Chaves dá um jeito de causar problemas ao tentar mexer nele, incluindo transformar o chapéu do Professor Girafales em uma “panqueca”.

Além dos personagens citados, também participam do episódio Chiquinha e Jaiminho.

A sétima temporada de “Chaves”, exibida entre 1979 e 1980, teve 50 episódios, sendo o primeiro o famoso “Vamos ao Cinema?”, que originou bordões como “Seria melhor ter ido ver o filme do Pelé”. Nesse período, porém, a série já se encontrava em declínio.

Um desentendimento entre Roberto Gómez Bolaños (o Chaves e idealizador do seriado) e Carlos Villagrán (que interpretava o Quico) no final de 1978 fez com que toda a temporada não tivesse a presença do icônico personagem – a desculpa era de que Quico teria ido morar com uma parente rica.

Em seguida, outra baixa sentida foi a de Ramón Valdés, o Seu Madruga. Ele abandonou o seriado ao tomar partido de Villagrán. Sem Quico e Seu Madruga, a Bolaños acabou criando outras situações e cenários, como o restaurante da Dona Florinda. De quebra, Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, acabou acumulando um outro papel: a de Dona Neves, sua própria avó.

Ironicamente, os episódios que antecederam esse último acabaram tendo um ar de despedida muito mais convincente. Trata-se das quatro partes de “Os Hóspedes do Sr. Barriga”, um especial natalino no qual os personagens passam juntos as festas de final de ano. Outras passagens do seriado, como a visita à Acapulco e o “Festival da Boa Vizinhança” também cumpririam bem esse papel.

O fato de “Chaves” ter sido transmitido no Brasil de maneira aleatória (e infinita) também acabou diminuindo o impacto e a melancolia desse último episódio, fazendo com que ele ficasse “camuflado” entre os demais da série. A partir de agora, porém, quando você tiver assistindo a alguma reprise e se deparar com esse capítulo derradeiro já poderá ter certeza de que “Chaves”, da forma com a qual foi concebido – com episódios independentes de outros programas -, acabou ali.

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

06/10/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

Comentários