OS MELHORES BLOCOS DO CARNAVAL DE RUA DO RIO DE JANEIRO

Publicidade

O ressurgimento do carnaval de rua do Rio de Janeiro pôs nas vias da cidade uma imensa lista de blocos, que não somente tocam tradicionais marchinhas e sambas, mas também executam músicas de rádio, rock, funk e até sertanejo, todas no ritmo da Festa de Momo.

Preferências à parte, listamos aqui os  melhores blocos do Rio, os mais tradicionais que tem a cara da cidade, que resistiram no passado mesmo com minguados patrocínios, contam com ótimas bandas e são em parte os responsáveis pelo renascimento do carnaval de rua na cidade.

Se você pretende passar o Carnaval no Rio de Janeiro, essa lista é obrigatória:


CARMELITAS

O bloco foi criado a partir de uma anedota contada por um morador do bairro, que disse ter visto uma freira pular o o muro do convento para se misturar aos foliões. Por isso, todo ano são dois desfiles: um na sexta-feira, no início do Carnaval, marcando a data em que a freira fujona cai no samba, e o segundo na terça-feira, quando ela tem a oportunidade de voltar ao convento sem chamar atenção. Muitos participantes usam fantasias de freira, para que ninguém identifique a fujona. Sai pelas ruas apertadas do bairro de Santa Teresa. É um ótimo momento para se ver a folia – e dançar marchinhas de Carnaval – tendo como cenário os casarios antigos do Rio.


SIMPATIA É QUASE AMOR


Um dos mais tradicionais bloquinhos de RJ, leva milhares de pessoas às principais ruas e avenidas de Ipanema. Conta com um trio elétrico que toca clássicos e músicas que animam a galera!


SARGENTO PIMENTA


O bloco que mistura clássicos dos Beatles com samba começou em 2011 e virou tanta febre no Carnaval carioca que até se apresenta em São Paulo.

Publicidade


BANGALAFUMENGA


Outro bloquinho que ganhou fama tanto dentro como fora do Rio de Janeiro, o Bangalafumenga nasceu em 98 e é conhecido por promover as fusões entre funk e samba, além de outros ritmos brasileiros


NÃO DEIXE O ROCK MORRER!


Para mostrar que o rock não foi abandonado na festa de folia, o bloco aposta no bom e velho rock’n’roll, sem mistura de ritmos ou batidas. Nesse bloco os arranjos são próximos dos originais, nada de marchinhas. Rolling Stones, Pearl Jam e Nirvana são algumas das bandas homenageadas.


DIVERSÃO BRASILEIRA


Criado por famosos dubladores, o bloquinho anima o público com vozes bem conhecidas da galera. Um grande exemplo é o fundador do bloco, Rodrigo Antas, que é a voz brasileira do personagem Bart Simpson.

Publicidade


TOCA RAUUUL


A clássica frase dita em shows de rock virou o nome do bloco que homenageia o Maluco Beleza. Durante a apresentação, clássicos do cantor embalados por arranjos de funk, ska, reg­gae, baião e maracatu.


MARCHA NERD


Juntando samba e nerd, o bloco reúne aficionados por quadrinhos, jogos eletrônicos, tecnologias e afins. Os integrantes se fantasiam de super-heróis embalados por trilhas de séries como Pokémon, Dragon Ball Z e Power Rangers, em versão de samba e marchinha.


FOGO E PAIXÃO


O bloco Fogo e Paixão presta uma homenagem ao Wando, que faleceu em 2012 dias antes do desfile. Este bloco foca na música brega e da cultura popular, misturando diversos ritmos, como xote, coco, funk maracatu e samba sob a influência declarada de músicas de Wando, Sidney Magal, Reginaldo Rossi, Beto Barbosa e adjacências.


AMIGOS DA ONÇA


O nome que remete a uma expressão de trairagem conta com dançarinos e pernas de paus, marchinhas autorais, e hits de Mamonas Assassinas, clássicos do axé da Bahia e tudo o que for conveniente ao momento ao som de percussão e instrumentos de sopro.

Publicidade


ROLA PREGUIÇOSA


Outro bloco tradiciona, reúne famílias inteiras no Carnaval do Rio em Ipanema. Desde crianças a idosos, todos ocupam as ruas para seguir o mascote do bloco: um gigante pênis inflável, que na verdade faz alusão à prevenção ao HIV.


CORDÃO DA BOLA PRETA


O mais antigo bloco de carnaval do Rio (foi fundado em 1918) vive seu apogeu com a presença de 2 milhões de foliões. Há 15 anos, a banda do bloco desfilava no chão devido a presença de pouco público. Hoje, só sai em cima de caminhões.


BANDA DE IPANEMA


Banda de Ipanema é um dos mais conhecidos blocos de carnaval do Rio de Janeiro, nascido em 1964 e que desfilou pela primeira vez no sábado de Carnaval em 1965. O bloco desfila no bairro que lhe dá nome, Ipanema, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, sai anualmente da Praça General Osório no sábado, duas semanas antes do Carnaval e no Sábado e na Terça-Feira de Carnaval. Arrasta multidões, com muita gente fantasiada. É o bloco mais animado do Rio. É o preferido da galera GLS.

Publicidade


BARBAS


O Bloco do Barbas foi fundado em 1985 para revitalizar o Carnaval da Zona Sul da cidade, principalmente o do bairro de Botafogo, muito famoso décadas atrás. O bloco surgiu da ideia de amigos frequentadores do restaurante Barbas, que teve sede na Rua Álvaro Ramos e foi um dos bares mais tradicionais do Rio de Janeiro. Jornalistas, políticos e intelectuais que militavam politicamente na oposição ao regime militar instalado no Brasil formavam o grupo. É o preferido dos PTistas e Lulistas.


SUVACO DE CRISTO


Suvaco do Cristo é um bloco carnavalesco que desfila no bairro do Jardim Botânico, Rio de Janeiro, numa localização que seria uma linha reta a partir das axilas da estátua do Cristo Redentor, no morro do Corcovado. De acordo com os integrantes do bloco, o nome teria sido inspirado em Tom Jobim, morador do bairro do Jardim Botânico e que dizia que em sua casa tudo mofava porque ele vivia no “Sovaco do Cristo”


CORDÃO DO BOITATÁ


O tradicional bloco desfilava pelas ruas históricas do centro da cidade. Hoje não dá mais. O bloco tem uma banda afinada, com vários instrumentos de sopro. O grupo se apresenta em palco armado na praça XV, no Centro da cidade, com a participação de cantores do cenário musical do Rio.

Publicidade


IMPRENSA QUE EU GAMO


É um bloco tradicional do bairro de Laranjeiras, que atrai diversos foliões por de toda a cidade. Suas camisas são tradicionalmente desenhadas por grandes cartunistas do Brasil, tais como Chico Caruso, Aroeira, Ziraldo, Veríssimo, entre outros. O bloco Imprensa Que Eu Gamo foi fundado por alguns jornalistas no ano de 1995. Foi dia da Caminhada pela Paz, uma manifestação que ocorreu em algumas cidades do país, no Rio de Janeiro ela aconteceu na Avenida Rio Branco, era a principal pauta dos jornais na época esse evento, e vários jornalistas cariocas tinham sido escalados para a cobertura, após o dia de trabalho alguns jornalistas foram para o polo gastronômico Mercadinho São José das Artes, em Laranjeiras, o local era muito frequentado pela imprensa carioca na época. Foi ali entre comentários de trabalho e muitos chopes, que surgiu a ideia de fundar um bloco carnavalesco.


BLOCO DE SEGUNDA


O Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Bloco de Segunda sai desde 1987 pelas ruas de Botafogo, sempre concentrando na Cobal do Humaitá, e tem uma origem engraçada. Tudo começou nos anos 80 quando um animado grupo de esquerda, morador do bairro, porém frequentador da praia de Ipanema, de saco cheio da política vigente à época (precisamente 1987) resolveu organizar um desfile de Carnaval para ridicularizar a dita cuja, em pleno 7 de setembro. Assim aconteceu o primeiro desfile do Bloco, que ganhou o nome imediato “De Segunda”, porque nesse ano o Dia da Independência era comemorado numa segunda-feira.

21/02/2019

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários