CIRCO BRASIL: CONHEÇA OS PROJETOS DE LEIS MAIS BIZARROS, RIDÍCULOS E ESCROTOS CRIADOS PELOS NOSSOS DEPUTADOS-PALHAÇOS

CIRCO BRASIL: CONHEÇA OS PROJETOS DE LEIS MAIS BIZARROS, RIDÍCULOS E ESCROTOS CRIADOS PELOS NOSSOS DEPUTADOS-PALHAÇOS

Você sabe o que faz um político? O Tiririca disse que se eleito iria descobrir e contar pra gente, como ele ainda não se pronunciou, de duas uma: ou ele não descobriu ou virou um político.

Publicidade

O Acidez Mental pesquisou para tentar desvendar esse mistério, mas também não conseguiu descobrir o que os políticos fazem, mas encontramos uma série de leis bizarras que no mínimo foram feitas para tirar sarro com a cara dos eleitores.

Vejam só as pérolas encontradas no ânus da política brasileira:

A LEI DO SACI
O Ministro da Fazendo Aldo Rabelo do PCdoB de São Paulo, quando era Deputado propôs a Lei do Saci, que propunha a criação de uma data comemorativa para celebrar o Saci-pererê, ícone folclórico brasileiro. A justificativa: já que os americanos criaram o halloween, porque não podemos ter o dia do Saci? A lei não agradou os outros políticos e foi arquivada antes mesmo de ser votada.

AEROPORTO PARA ALIENÍGENAS
Pasmem, essa lei existe. A lei municipal 1840/95 do município de Barra da Graça reserva uma área de 5 hectares na cidade para a construção de um aeroporto para alienígenas. Pelo menos o aeroporto ainda não começou a ser construído.

Publicidade

REGISTRO DE VISUALIZAÇÃO DE ÓVNIS
O ex Deputado Federal João Caldas criou um projeto de lei extremamente bizarro que previa o registro oficial de contatos com óvinis. A ideia não deu muito certo e o projeto foi arquivado em 2002.

DOAÇÃO DE ÓRGÃOS OBRIGATÓRIA PARA HOMICIDAS
O ex Deputado Federal Irapuan Teixeira é um tanto quanto sádico. Ele propôs um projeto de lei que obriga os condenados por homicídios dolosos a doar os próprios órgãos. A lei não foi aprovada por ser considerada inconstitucional.

DIA MUNICIPAL DAS MÃES ADOTIVAS
O cantor Agnaldo Timóteo, quando era vereador em São Paulo, propôs um projeto de lei para criar o dia municipal das mães adotivas, que seria celebrado no terceiro domingo do mês de maio, logo depois do dia das mães. Por incrível que pareça, a lei 460/90 foi aprovada em 2010. Depois, o ex Deputado Federal Clodovil Hernandes tentou transformar a lei em uma lei federal, mas não conseguiu e o seu projeto de lei foi arquivado.

CÂMARA DOS DEPUTADOS E DEPUTADAS
A ex Deputada Federal Emília Fernandes não tinha nada para fazer quando propôs a emenda constitucional 473/2010. Ela queria mudar o nome da Câmara dos Deputados para algo, digamos, unissex. E o nome proposto foi Câmara Federal. A proposta sequer foi analisada.

Publicidade

PROIBIÇÃO DE MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
Talvez a lei mais bizarra desta lista é a lei municipal da cidade de Bocaiuva, Paraná, que proibia a venda de preservativos e anticoncepcionais na cidade. A medida foi tomada devido ao baixo índice de natalidade em Bocaiuva que lidava com cortes de verbas federais devido ao encolhimento da população. A lei foi revogada um dia depois de entrar em vigor.

RESTRINGIR OS NOMES DE BICHOS DE ESTIMAÇÃO
O ex Deputado Federal Pastor Reinaldo propôs a proibição do uso de nomes de pessoas em animais de estimação. O projeto foi arquivado.

BOPE É CULTURA
Com o sucesso do filme brasileiro Tropa de Elite, o deputado carioca Flavio Bolsonaro (PP) considerou que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) merecia uma homenagem maior e sugeriu que o símbolo da caveira estilizada e a farda preta do grupo fossem declaradas patrimônios culturais do Estado do Rio de Janeiro. Para Bolsonaro, o PL 1264/2008 valorizava “os símbolos que representam os verdadeiros guerreiros que são os militares do Bope e, através deles, a história de valor, dedicação e sacrifício de toda a Polícia Militar do Rio de Janeiro”. Na justificativa da proposição, o deputado ainda disse que os que não levassem a proposta a sério escrevessem críticas, “confortáveis em suas poltronas e detrás de seus muros”. O projeto foi arquivado ao fim da legislatura, em fevereiro de 2011.

Publicidade

CAPITAL NACIONAL DO BONÉ
O município que produz cerca de 60% dos bonés fabricados no Brasil só poderia ser a Capital Nacional do Boné. Foi com essa justificativa que o deputado federal Alex Canziani (PTB-PR) propôs o “título” a Apucarana (PR), onde o setor “boneleiro” é tão importante que, na entrada da cidade, há um monumento ao acessório de 14 m de comprimento por 5 m de altura. O PL 2793/2008 foi aprovado e virou lei em 6 de julho de 2010, sancionada pelo então presidente em exercício José Alencar.

QUITUTE PATRIMONIAL
Entre os muitos políticos que propuseram transformar um símbolo inusitado em patrimônio cultural, destaca-se o vereador Hiram Ayres Monteiro Junior (DEM). Ele propôs que o bolinho de frango tradicional de Itapetininga, no interior de São Paulo, recebesse as devidas homenagens. E conseguiu: a lei 4.982, de 3 de outubro de 2005, declara que o bolinho de frango constitui “patrimônio portador de referência à identidade, à ação e à memória da sociedade itapetiningana”. A tradicional receita teria se popularizado há mais de 100 anos e, atualmente, qualquer evento na cidade precisa ter uma barraca de bolinho de frango. O petisco leva farinha de milho, ovos, peito de frango, alho e cebola.

O PAPA É DE SAMPA
Quatro meses após a escolha de Joseph Ratzinger (Bento XVI) para suceder João Paulo II, o vereador de São Paulo Domingos Dissei (DEM) propôs que o religioso alemão recebesse o título de cidadão paulistano. Mesmo inusitado, o Projeto de Decreto Legislativo 75/2005 foi aprovado e virou decreto em novembro do mesmo ano, com a ressalva de que, na impossibilidade de o Papa receber a homenagem pessoalmente, um indicado por ele o faria. Não foi preciso. Em maio de 2007, o papa fez sua primeira visita ao Brasil como líder máximo da Igreja Católica e recebeu, no Campo de Marte, a chave da cidade das mãos do prefeito Gilberto Kassab.

Publicidade

SELO RETOQUE NO PHOTOSHOP
É notável que as campanhas publicitárias e revistas sensuais usam e abusam do Photoshop para deixar (ainda) mais magras e sem marcas de expressões suas lindas modelos. O deputado federal Wladimir Costa (PMDB –PA), porém, acha necessário deixar mais explícito e apresentou um projeto de lei que obriga a inclusão da mensagem: “Atenção: imagem retocada para alterar a aparência física da pessoa retratada”. No PL 6853/2010, o parlamentar sugere multa de R$ 1,5 mil a R$ 50 mil à publicação que desobedecer a norma. Para ele, os exageros nos retoques “influenciam significativamente na formação dos padrões de beleza, sobretudo dos padrões de beleza femininos”. A proposta foi encaminhada à Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, onde se encontra em tramitação.

CUPUAÇU RECONHECIDO
Para quem não sabia que o País tem uma árvore nacional, o Ipê, um projeto de lei do senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) para designar a fruta nacional passou batido. O assunto, porém, não é banal para o político, que apresentou justificativa alegando que a valorização do cupuaçu, fruta típica da Amazônia, seria uma forma de proteger as “imensas riquezas” da região. “O doce e exótico sabor do cupuaçu, já há muito apreciado pela população amazônica, sobretudo a paraense, só agora conquista admiradores e ganha prestígio na gastronomia nacional e internacional”. O PL 386/2003 foi aprovado no Senado e na Câmara dos Deputados, e virou lei em 19 de maio de 2008: “O cupuaçu, fruto do cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum), é designado fruta nacional”.

MENOS ESTÔMAGO, MAIS DESCONTO
O vereador Francisco Sellin (PDT), de Campinas (SP), apresentou um projeto de lei para beneficiar pacientes que se submeteram a cirurgias de redução de estômago (gastroplastia): em restaurantes a la carte e em rodízios, eles receberiam descontos de até 50%. Para usufruir do benefício, o cliente teria que apresentar ao estabelecimento laudo e declaração do médico responsável. De acordo com a proposta, os restaurantes seriam obrigados a afixar a seguinte mensagem em local visível: “Este estabelecimento comercial concede descontos na refeição para os gastroplastizados”. O PL 662/2009 foi encaminhado à Comissão de Constituição, Legalidade e Redação da Câmara Municipal, que deu parecer contrário à proposta e a arquivou.

23/03/2018

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET


Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários