A GUERRA MAIS SANGRENTA DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE

A GUERRA MAIS SANGRENTA DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE

A História do Brasil que aprendemos na escola é uma farsa. Sempre que pensamos em guerra, genocídio e outras atrocidades contra a humanidade, nos vem à cabeça, Hitler, a Segunda Guerra Mundial, os campos de concentração nazistas, a Guerra do Vietnam, ou a do Iraque.

Publicidade

Mas o que nossos professores não nos ensinaram, é que a guerra mais sangrenta (e covarde) da história da humanidade, ocorreu aqui, no nosso quintal, na América do Sul. E que os genocidas (e covardes) fomos nós, brasileiros.

Na Guerra do Paraguai, Duque de Caxias, liderando um exército de 150 mil soldados (os Voluntários da Pátria), invadiu e exterminou 80% da população do Paraguai, não se importando se eram homens, mulheres ou crianças. O pequeno país foi totalmente devastado, pilhado e saqueado.

Causas do Conflito

A Guerra do Paraguai teve seu início no ano de 1864, a partir da ambição do ditador Francisco Solano Lopes, que tinha como objetivo aumentar o território paraguaio e obter uma saída para o Oceano Atlântico, através dos rios da Bacia do Prata. Ele iniciou o confronto com a criação de inúmeros obstáculos impostos às embarcações brasileiras que se dirigiam a Mato Grosso através da capital paraguaia.

Visando a província de Mato Grosso, o ditador paraguaio aproveitou-se da fraca defesa brasileira naquela região para invadi-la e conquistá-la.

Fez isso sem grandes dificuldades e, após esta batalha, sentiu-se motivado a dar continuidade à expansão do Paraguai através do território que pertencia ao Brasil.

Seu próximo alvo foi o Rio Grande do Sul, mas, para atingi-lo, necessitava passar pela Argentina. Então, invadiu e tomou Corrientes, província Argentina que, naquela época, era governada por Mitre.

Reação da Tríplice Aliança

Decididos a não mais serem ameaçados e dominados pelo ditador Solano Lopes, Argentina, Brasil e Uruguai uniram suas forças em 1° de maio de 1865 através de acordo conhecido como a Tríplice Aliança.

A partir daí, os três países lutaram juntos para deterem o Paraguai, que foi vencido na batalha naval de Riachuelo e também na luta de Uruguaiana, A ação intervencionista do Brasil, feita em 1864, foi a justificativa encontrada por Solano Lopez para invadir a província do Mato Grosso e duas províncias argentinas. A partir de então, estava formado o cenário inicial da maior guerra da história militar brasileira.

Publicidade

Batalhas e liderança de Duque de Caxias

Esta guerra durou seis anos; contudo, já no terceiro ano, o Brasil via-se em grandes dificuldades com a organização de sua tropa, pois além do inimigo, os soldados brasileiros tinham que lutar contra o falta de alimentos, de comunicação e ainda contra as epidemias que os derrotavam na maioria das vezes. Diante deste quadro, Caxias foi chamado para liderar o exército brasileiro.

Sob seu comando, a tropa foi reorganizada e conquistou várias vitórias até chegar em Assunção no ano de 1869. Apesar de seu grande êxito, a última batalha foi liderada pelo Conde D`Eu (genro de D. Pedro II). Por fim, no ano de 1870, a guerra chega ao seu final com a morte de Francisco Solano Lopes em Cerro Cora.

Motivos da participação da Inglaterra

Antes da guerra, o Paraguai era uma potência econômica na América do Sul. Além disso, era um país independente das nações europeias. Para a Inglaterra, este país era um exemplo que não deveria ser seguido pelos demais países latino-americanos, que eram totalmente dependentes do império inglês.

Foi por isso, que os ingleses ficaram ao lado dos países da Tríplice Aliança, emprestando dinheiro e oferecendo apoio militar. Era interessante para a Inglaterra enfraquecer e eliminar um exemplo de sucesso e independência na América Latina.

Consequências da Guerra

O saldo da guerra foi trágico para os paraguaios. O projeto desenvolvimentista chegou ao seu fim com a morte de López, os proprietários foram expropriados de suas terras e a grande maioria da população economicamente ativa do país morreu durante os seis anos de guerra. Cerca de 80% da população paraguaia morreu durante o conflito, sendo que a maioria dos mortos eram homens;

Os países da Tríplice Aliança também foram prejudicados, pois a contração de empréstimos acabou prejudicando a economia desses países. No Brasil, essas conseqüências negativas implicaram no reforço da campanha antimonarquista e a queda de D. Pedro II em 1889.

– A indústria paraguaia ficou arrasada após a guerra. O Paraguai nunca mais voltou a ser um país com um bom índice de desenvolvimento industrial e econômico. E passa até hoje por dificuldades políticas e econômicas.

– Embora tenha saído vitorioso, o Brasil também teve prejuízos financeiros com o conflito. Os elevados gastos da guerra foram custeados com empréstimos estrangeiros, fazendo com que aumentasse a dívida externa brasileira e a dependência de países ricos como, por exemplo, da Inglaterra;

– Com a guerra, o exército brasileiro ficou fortalecido no aspecto bélico, pois ganhou experiência e passou por um processo de modernização. Houve também um importante fortalecimento institucional. Do ponto de vista político, o exército também saiu fortalecido e passou a ser uma importante força no cenário político nacional.

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

02/09/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

Comentários