7 FILMES E SÉRIES QUE VÃO FAZER VOCÊ TORCER PARA O MAL VENCER NO FINAL

7 FILMES E SÉRIES QUE VÃO FAZER VOCÊ TORCER PARA O MAL VENCER NO FINAL

Em filmes e séries, o modelo tradicional de se contar uma história muda a toda hora. Não vemos só mocinhos passando pelos seus arcos de transformação, para destruir os vilões e conquistar o seu objeto de desejo. Em todo caso, também não torcemos só pelos mocinhos. As coisas mudaram e muitas vezes temos verdadeiras pessoas de mau caráter ganhando apelo do público. Enquanto nos cinemas sempre foi possível brincar com a preferência e torcida da audiência, na TV, esse modelo de narrativa só ganhou espaço quando a HBO resolveu estrear o fenômeno The Sopranos, em 1999.

Talvez estou limitando a perspectiva. Não é só em filmes e séries que podemos torcer pelos monstros, e sim em qualquer tipo de narrativa. Seja ela um livro ou um anime. As vezes, nós torcemos por gente sem nenhum caráter, sem saber que eles não prestam. Em outras vezes, eles são tão atraentes que nos seduzem de uma forma insana. Não importa como, muitas vezes são eles que ganham a nossa prefêrencia e o nosso coração. Nós resolvemos escolher, 7 produtos audiovisuais, sendo eles filmes, séries e animes, que nos fazem torcer para verdadeiros monstros.

1 – Os Suspeitos (1995)

O roteirista Christopher McQuarrie e o diretor Bryan Singer lançaram o filme Os Suspeitos em 1995. A história mostra um detetive investigando 5 sobreviventes de uma explosão em um cais, que causou dezenas de mortes, e tentando descobrir qual entre os suspeitos provocou o crime. Eles nos convence, ao longo de todo o filme, que Roger ‘Verbal’ Kin é um homem inofensivo, frágil, fraco e que não deveria nem ser considerado como um dos suspeitos. O homem, que tem aparentemente deficiência física devido ao seu modo de andar, nos desperta simpatia.

Porém, no final do longa, descobrimos que ele era o “grande demônio” da história. No caso desse filme em si, torcemos pelo monstro porque a história nos faz acreditar que ele era a grande vítima da trama. Esse, talvez, seja um dos grandes plot twists do cinema.

2 – Death Note (2003)

Death Note é um dos animes mais interessantes já produzidos. Ele mostra a história de Kira, jovem que encontra um Deaht Note, ou caderno da morte em tradução literal, acompanhado do demônio Ryuk. O caderno dá ao garoto o poder de matar quem ele quiser do mundo. Para isso, basta que ele escreva o nome completo da pessoa no caderno e visualize o rosto dela. No início do anime, ele matava apenas criminosos, pessoas que ele considerava serem um problema para o mundo. Porém, ele começa a passar dos limites quando começa a matar qualquer um que discorde do seu posicionamento ou que atrapalhe de alguma forma o seu caminho. Apesar de só percebermos a monstruosidade de Kira depois que ele passa a matar personagens que amamos, deveríamos odiá-lo desde o começo. Isso porque não é ético ou moral julgar pessoas e condená-las à morte devido aquilo que julgamos certo ou errado.

3 – Hannibal (2001)

Anthony Hopkins ganhou o Oscar de melhor ator por O Silêncio dos Inocentesem 1991. Ele interpretou Hannibal Lecter no longa, onde apareceu por no máximo 20 minutos. Ele era um coadjuvante interessantíssimo. O apreciador de carne humana ganhou um filme, em 2001, em que ele era realmente o centro da história. Apesar dele demonstrar ser capaz de amar, ele também prova de vez que sua verdadeira paixão é a carne humana.

Não tem como, ele é um serial killer sem cura. mas apesar de vermos constantemente comer a carne de outros personagens, nós achamos ele tão charmoso e interessante, que parece impossível não ficar totalmente deslumbrado com o personagem. Entre todos os filmes e séries sobre monstros que nós amamos, talvez esse caso seja o mais forte e verdadeiro.

4 – Seinfield (1989 – 1998)

Seinfield estreou na NBC em 1989 e durou 10 temporadas, terminando em 1998. Sendo considerada uma das séries de comédias mais aclamadas pelo público e pela crítica especializada, ela tem uma trama central nada convencional. Seinfield é conhecida por ser uma série sobre o nada. Ela simplesmente mostra a vida comum e as banalidades de Jerry Seinfield e seus três “amigos”. Talvez seja pesado colocá-los em uma lista de personagens monstros de filmes e séries por quem que nós torcemos, mas é fato que nenhum deles é flor que se cheire. Todos os quatro são totalmente egocêntricos e egoístas, quase nunca fazendo nada por ninguém além deles mesmos. Não é à toa que eles terminam a série presos.

5 – Clube da Luta (1999)

Quando conhecemos Tyler Durden, ele faz um grande contraste com o narrador e sua vida monótona. Os dois são totalmente opostos, mas ainda assim encontram suas similaridades para fundar o Clube da Luta. É realmente chocante quando descobrimos que eles são a mesma pessoa ao final do filme. Deixando esse plot twist um pouco de lado, é interessante notar como Tyler é alguém arrogante e prepotente, além de violento. Ainda assim nos deixamos levar por seu charme e pela sua crítica à sociedade capitalista e a sua escravidão diante do consumismo. Mas se você pensar um pouco, tudo aquilo que o personagem prega é realmente a solução para os problemas da sociedade? Bater em outras pessoas sem uma boa razão é a resposta ou apenas uma fantasia violenta distorcida? Além disso, explodir  edifícios tecnicamente faz dele um terrorista.

6 – Breaking Bad (2008 – 2013)

Braking Bad é considerada uma das melhores, senão a melhor, série de todas os tempos. Além da trama magnífica e da fotografia e direção impecáveis, tudo só funciona porque o personagem principal e o seu arco são perfeitos. Walter White é um homem passando pela crise de meia idade que descobre ter um câncer de pulmão. Ao perceber que irá morrer sem deixar nada para a família, começa a produzir metanfetamina e entra no mundo do tráfico para deixar um subsídio para sua mulher e filhos. Breaking Bad vai nos contar ao longo de 5 temporadas, como esse homem bom e pai de família vai se tornando um homem mal e chefão do crime.

É aí que está a grande sacada da série: no começo nos identificamos e nos apegamos àquele homem inteligente e sensível. Com o passar do tempo, ele começa a fazer coisas horríveis gradativamente, mas nós ainda estamos apegados à visão inicial do personagem. É preciso ele quase matar uma criança para realmente começarmos a perceber que o personagem é um monstro.

7 – Indiana Jones (1981/1984/1989/2008)

Por que não terminar essa lista de forma chocante? Na superfície, Indiana Jones é um herói de cinema ideal – bonito, espirituoso e inteligente. Mas se você prestar atenção, pode mudar de ideia. Em Caçadores da Arca Perdida, ficamos sabendo que ele tinha um relacionamento com a filha de seu mentor, Marion Ravenwood, quando ela tinha cerca de 16 anos de idade. Ele estava com seus vinte e tantos anos. No Reino da Caveira de Cristal, ele abandona seu grande amor novamente antes do casamento. Além disso ele tinha um filho adulto e nunca nem procurou saber.

Por último, há a natureza problemática de seu trabalho, que envolve basicamente viajar ao redor do mundo e roubar preciosos artefatos. Principalmente de culturas indígenas para que possam ser exibidos em museus americanos. Indiana Jones: saqueador, canalha e pai caloteiro.

E aí, concorda que os personagens citados na lista são monstros? Comenta aqui com a gente e compartilha essa lista nas suas redes sociais. E para você que gostava do indiana Jones antes de ler esta lista, aquele abraço.

Fonte: Fatos Desconhecidos

22/08/2018

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET


Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários