10 COISAS QUE VOCÊ DEVE MORRER ANTES DE COMER

10 COISAS QUE VOCÊ DEVE MORRER ANTES DE COMER

Não, você não leu errado. Morra antes de experimentar essas porcarias disfarçadas de comida, listadas neste post. A vida já é ruim o suficiente para você ficar comendo lixo.

Publicidade


1: Galinhada do Dalva e Dito

Tipica macumba pra turista. Após pegar fila, paga-se pequena fortuna por buffezinho mixuruca, com direito à mulatas peidando na sua cara, em clima de pura azaração. Não dá.


2: Grand Gateau do Paris 6

Não basta servir versão horrorosa do breguíssimo petit gateau. Tem que ter trocadilho com o tamanho, no nome. Satisfeito? Peraê, calma. Ainda tem cobertura de leite condensado e picolé enfiado no meio do bolinho. Isso mesmo que você leu. Que tal?


3: Sanduíche de Mortadela do Bar do Zé Mané, no Mercadão

Sem mencionar que dá uma puta azia do caralho depois, com a mesma grana que gastaria na imordível tranqueira, dá pra você comprar mortadela e pães o suficiente para alimentar uma família, de maneira decente, com sanduíches que caibam na boca de quem vai comer. Não é melhor negócio? Ah! Uma vez no Mercadão, aproveite para não comer também o pastel de bacalhau do Hocca bar.


4: Burger com jambu do Meats

Porque burger tem que ter gosto de burger. Simples assim. No mesmo bairro tem um excelente burger, o Na Garagem, sem invencionice, ótimo e barato. Mas, uma vez que caia no Meats, ali mesmo tem bons burgers clássicos, infelizmente um tanto irregulares. Recomendo Reza Braba. A única coisa que é sempre igual é a batata, sempre incomível.

Publicidade


5: Pizza da Famiglia Mancini

Já foi boa, hoje não é mais. Mas isso nem é o pior. Terrível é pagar salgado couvert artístico por música ordinária, que você não quer ouvir, além de coquetelaria muito abaixo do medíocre, carta de vinhos risível e a mesa de antepastos mais cara do Universo. O senhor Walter Mancini faz tudo pra transformar sua noite em um Inferno. Poucos capricham tanto.


6: Qualquer merda que se auto-denomine “gourmet”

Em um país justo, isso daria cadeia. Pra quem vende e pra quem come.


7: Mini-arroz

Textura de arroz de segunda, aquele que quebra, com sabor qualquer. Nunca entenderei o encanto de certos chefs por algo tão sem graça. Por que não usam canjiquinha, ingrediente com textura parecida, porém com um puta sabor gostoso?


8: Virado à Paulista do Itamarati

São Paulo, cidade onde o que poderia ser clássico é simplesmente datado e meia boca, em lugares como esse antigo restaurante. O famoso Virado leva tutu com textura de vômito de crackeiro, arroz empapado, linguiça sabor salitre e torresmo murchão. Gosta desse prato? Ali perto, a Dona Onça serve o melhor do pedaço. Se estiver pro lado da Vila Madalena, o Sabiá tem um bem encarável. Não é porque a iguaria é servida às segundas que tem que ser comida de segunda.


9: Ovo Mollet do Le Jazz

Esse lugar é uma das maiores enganações paulistanas. O auge do falso bom e barato. O ovo mollet, entrada que custa mais de trinta reais, é belo exemplo da minha opinião que poucos compartilham, dado o sucesso da rede. Ovo empanado, com presunto frito e nada menos que o absurdo AZEITE TRUFADO. Vai encarar? Eu não.


10: Rodízio de qualquer coisa

Rodízio, só de carro.

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

01/12/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários