VERDADES SOBRE MENTIRAS MASCULINAS

VERDADES SOBRE MENTIRAS MASCULINAS

Domingão, liderança do campeonato em disputa e a mulher quer visitar a mãe dela, do outro lado da cidade, pela terceira vez só nesta semana.

O maridão começa a elaborar uma boa desculpa para não ter de acompanhá-la, envolvendo uma dor de estômago ou uma pilha de trabalho para entregar no dia seguinte (ou ambos). Algo tão épico que soa mais falso a cada detalhe adicionado. Enquanto ele se faz de mártir, nem percebe que seria muito mais fácil dizer que prefere ficar em casa.

Fato: homens mentem. Alguns, maquiavelicamente. Mas, a maioria, faz isso de forma ingênua. Costumamos soltar uma mentirinha ou outra antes mesmo de avaliar se existe necessidade de usá-la. Tudo porque fomos educados a driblar e não a passar a bola. Um consenso entre os machos é que a mulherada pega no pé sob qualquer circunstância. Então, para evitar situações de conflito, em vez de partir para o gol, a gente ginga, pedala, dá uma catimbada e cai para simular falta.

Malandro sempre acha que precisa se defender de alguma acusação. Mesmo inocente, a verdade pode parecer ameaçadora demais. Ele foi ao cinema sozinho, comprou ingresso com lugar marcado e nem imaginava que sua ex escolheu, por acaso, a poltrona ao lado. Coincidência engraçada para contar aos colegas de trabalho na hora do café. Mas o resumo da história, aos olhos da namorada, ainda seria ele vendo um filminho junto com uma mulher de seu passado. Em alguns casos, a mentira oferece menos risco.

Homem também se apóia em lorotas antes de admitir que está errado. Como o motorista que roda em círculos e não para para pedir informação. “Bem que o GPS disse lá atrás para você virar à esquerda”, a mulher esfrega na cara dele. “Ali era contramão, o GPS está desatualizado e prefiro um caminho alternativo que conheço”, ele resmunga, antes de dar a volta no quarteirão e, sorrateiramente, pegar a rua que ela havia apontado. Por que assumir o engano se pode justificar suas cabeçadas com uma pretensa sabedoria superior?

Há ainda a mentira para se dar bem. Aumentamos feitos, criamos outros, damos uma polida na realidade, tudo para sair bonito na foto diante da pretendente. Poderia chamá-los, simplesmente, de calhordas aqui e limpar minha barra. Mas, para falar a verdade, todo cara já usou esta artimanha alguma vez na vida (e aposto que nenhum perdeu o sono depois). Aquele que disser o contrário, pode ter certeza, está mentindo.

De vez em quando, a gente mente para proteger as mulheres delas mesmas. Porque vocês adoram fazer perguntas cujas respostas não querem ouvir. Imaginem um sujeito tão sincero que falasse: “sua bunda parece enorme neste vestido” (do jeito que ele gosta, aliás); “claro que eu pegaria suas amigas” (é uma pergunta hipotética, não é?); “já transamos, já papeamos… agora me deixa dormir” (sexo dá sono, cientificamente provado).

Nada disso é motivo de preocupação. Afinal, a maioria dessas pequenas encanações desaparece conforme cresce a cumplicidade do casal, que passa a ler a mente um do outro. O problema é quando brincam com os sonhos de alguém. Como o casado que jura seguidamente para a amante que vai se divorciar em breve (“só não posso agora”, diz). Mais do que ninguém ela deveria saber que, se ele já enrola a esposa, não tem motivo para ser honesto com ela. As mulheres costumam pegar fácil as mentiras dos homens, mas ficam um tanto cegas quando alguém mexe com a esperança delas.

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

17/11/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários