AS TOP 10 LENDAS URBANAS

LENDAS URBANAS

Bicho-papão, mula sem cabeça e o famoso Pé-grande são algumas das figuras lendárias cujas histórias assustaram muita gente por séculos. Mas à medida que as populações começaram a se concentrar mais nas cidades do que no campo esses personagens folclóricos perderam espaço. Afinal, seus perfis não combinavam com o ambiente e a cultura urbana.

No lugar deles, os contos populares elegeram outros protagonistas, como o homem do saco, palhaços que roubam órgãos das crianças, brinquedos assassinos ou uma loira sexy que aterroriza alunos nos banheiros das escolas. Assim surgiram as lendas urbanas.

No boca a boca ou pela internet, elas têm se propagado muitas vezes com o status de histórias reais com a missão de alertar os mais incautos sobre as ameaças da vida nas grandes cidades. As lendas urbanas desenvolvem-se a partir dos mais diferentes temas, como fenômenos sobrenaturais, atos cruéis de bandidagem, pactos demoníacos feitos principalmente por celebridades ou experiências com drogas, entre outros. Descubra quais são dez das melhores lendas urbanas no Brasil e no exterior.

LENDAS URBANAS

10- MISTER ROGERS ERA UM MATADOR

Um dos mais famosos apresentadores de programas infantis na TV dos Estados Unidos foi Fred McFeely Rogers, mais conhecido por milhões de crianças como Mister Rogers. O programa infantil comandado por ele caracterizava-se por seus longos bate-papos com a criançada. Com a ajuda de uma equipe de psicólogos, Roger levou ao ar por mais de três décadas um programa que tornou-se muito popular ao tentar compreender os medos e os desejos do público infantil. Mas, segundo uma das lendas urbanas sobre celebridades que surgiram nos Estados Unidos, Mister Rogers não era somente o apresentador bonzinho que aparecia na tela. Seu passado era sangrento. Ele teria sido ou um marine ou um seal, dependendo da versão, e lutado na Guerra do Vietnã como um franco-atirador, tendo assassinado mais de 150 pessoas. Embora nessa época ele não tivesse idade para servir e já comandasse seu bem-sucedido programa infantil, o rumor sobre Mister Rogers ser um matador tornou-se quase tão popular quanto o seu programa.

lendas urbanas9- PASSEIO DE ALMA PENADA

Esta é uma lenda urbana tão popular no Brasil quanto nos Estados Unidos. Na versão nacional, uma garota pega um táxi num ponto próximo a um cemitério e pede ao motorista para levá-la para dar uma volta pela cidade e retornar ao mesmo ponto de partida. Ao final do passeio ela dá o endereço da casa de seus pais ao taxista e pede que ele vá lá receber o pagamento pela corrida. Ao chegar e contar o caso ao pai da garota ele é surpreendido pela notícia de que ela já morreu há alguns anos. Na versão norte-americana, a lenda tem como cenário uma estrada e como personagens um motorista solitário e uma garota pedindo carona. Ao final da carona, o motorista percebe que ela esqueceu algo no carro e, quando vai lhe devolver o objeto na casa em que ela entrou, descobre que a garota faleceu em um acidente de carro no exato local em que ela estava pedindo carona.

8- A RESSURREIÇÃO DE WALT DISNEY

Logo após a morte de Wal Disney, que ocorreu em 1966 em decorrência de um câncer no pulmão, um boato fez com que muita gente ainda acredite que o criador do Mickey Mouse foi congelado através de uma técnica conhecida como criogenia para um dia ser ressuscitado. Tão forte como as lendas do rock que dizem que Elvis Presley está vivo ou que alguns discos de vinil trazem mensagens satânicas quando tocados ao contrário, a lenda sobre o congelamento do corpo de Disney sobrevive a partir de alguns fatos que alimentam as teorias conspiratórias. Um deles é ele ter sido cremado em um funeral reservado, segundo a versão oficial divulgada pela família, e outro é que a primeira experiência de criogenia com um ser humano ocorreu exatamente algumas semanas após a morte do pai do Mickey.

LENDAS URBANAS

7- LADRÕES DE ÓRGÃOS

Ela tornou-se uma das mais populares lendas urbanas no mundo inteiro principalmente após o advento da internet. As várias versões giram sempre em torno da história de alguém sendo seduzido em um bar ou em uma festa, se embebedando ou se drogando e acordando em uma banheira cheia de gelo e com um pedaço de seu corpo costurado, frequentemente na região de um dos rins. Ao obter socorro médico, o azarado descobria que tinha sido vítima de um golpe no qual alguns gatunos haviam roubado um de seus rins. A lenda urbana sobre os ladrões de órgãos correu o mundo e as principais vítimas nas diferentes versões do conto eram turistas ou gente viajando a negócios. As crianças também tornaram-se o alvo numa versão da lenda conhecida como “a gangue do palhaço”, na qual um palhaço e uma bailarina circulavam numa perua pela cidade sequestrando crianças para tirar e comercializar seus órgãos.

6- LOIRA DO BANHEIRO

Os temas sobrenaturais são os preferidos das lendas urbanas. Este é o caso do conto sobre a loira do banheiro provavelmente inventado por um periódico sensacionalista brasileiro inspirado nas narrativas norte-americanas sobre bruxas. A lenda que logo espalhou-se no boca a boca pelas escolas do país conta que uma adolescente loira e bonita adorava cabular as aulas e muitas vezes ficava no banheiro da escola fumando. Numa dessas, ela teria escorregado, batido a cabeça no chão e morrido. Sua alma, no entanto, não se conformou com tamanha fatalidade e passou a frequentar os banheiros das escolas assustando garotas e garotos que estavam por lá matando aula. Como era de se esperar, vários estudantes afirmaram ter visto a loira do banheiro e a descreveram como pálida, com cicatrizes na cabeça e algodão enfiado no nariz para o sangue não escorrer (algo estranho para um fantasma que teoricamente não deveria ter mais sangue nas veias). Segundo a crença popular, se você for ao banheiro pretendendo cabular aula e não encontrar a loira é só fazer um ritual que ela aparece: acione a descarga por três vezes, chute a privada e vire-se rapidamente para o espelho. Se der certo, esperamos que você sobreviva para nos contar.

5- SATÃ E A RAINHA DOS BAIXINHOS

Os teóricos da conspiração adoram encontrar mensagens diabólicas em discos de vinil tocados ao contrário. Vários grupos consagrados já foram alvos dessas teorias, como os Beatles e o Led Zeppelin. Mas o que poucos esperavam é que um dos mais fortes boatos sobre mensagens satânicas envolvesse a apresentadora Xuxa, a “rainha dos baixinhos”. Uma das lendas urbanas que surgiu em torno dela diz que sua meteórica ascensão ao estrelato foi feita graças a um pacto que ela teria feito com Satanás. A “prova” disso estaria em alguns de seus discos com músicas para a criançada, que se tocados ao contrário revelariam mensagens. Outra “evidência” desse pacto seriam as “bonecas assassinas” da apresentadora que atacavam as crianças enquanto elas estivessem dormindo, no melhor estilo “Chucky, o brinquedo assassino”.

4- DIABÓLICO MENINO CHORÃO

Junto com o conto da loira do banheiro, o caso do quadro do menino que chora é uma das lendas urbanas mais conhecidas no Brasil. Como em várias outras narrativas populares, esta história gira em torno do tema do artista que faz um pacto com o diabo para alcançar sucesso. Neste caso, o artista seria um pintor que, entre outras obras, fez um quadro no qual retratou um menino chorando. A criança que posou para o artista teria sido assassinada em um ritual satânico. Ainda segundo essa lenda urbana, se o quadro fosse queimado ele libertaria o capeta em “carne e osso” e as provas disso eram que quando virado de cabeça para baixo o retrato do menino tornava-se a silhueta do diabo e quando o fogo começava a queimar o quadro formavam-se figuras de um ser chifrudo onde as chamas atingiam. E não adiantava jogá-lo fora, pois ele voltava a aparecer na casa de seu dono. A lenda fez tanto sucesso, isto é, amedrontou tanta gente, que hoje em dia é difícil encontrar um exemplar do quadro por aí.

NÃO ACABOU NÃO. CONTINUA AQUI!

Comentários