PROCURA-SE BISSEXUAL PARA RELACIONAMENTO SÉRIO E DURADOURO

PROCURA-SE BISSEXUAL PARA RELACIONAMENTO SÉRIO E DURADOURO

Toda vez que alguém pergunta minha orientação sexual e eu respondo ‘hétero’, fico pensando se não estou mentindo porque, segundo o dicionário, ser hétero é gostar do sexo oposto e eu não estou certa de que gosto muito dos homens héteros. Não me sobram muitas opções porque se tem uma coisa de que tenho certeza absoluta na vida é de que não nasci para lamber buceta, então, cara, o que me resta? Ser pansexual e começar a transar com árvores? Eletrodomésticos? É, um caso a se pensar. Simplesmente não dá, eu juro que tenho mas não tenho assunto com caras héteros, aí eu penso: beleza, vamos atacar de sexo casual.

Daí você vai, pega, beija, amassa, transa e depois faz o que? Disserta sobre tamanho do dote dele? Fica admirando ele dormir (e roncar) do seu lado? Geralmente eu fico é doida pra ir embora mesmo. Raramente você vai encontrar um homem que já tenha lido mais de três livros na vida (incluindo o manual de trânsito e a lista telefônica). Raramente você vai encontrar um homem que curta boa música, que goste de cinema, que aceite sair pra dançar. Foi decepcionada com os héteros que eu desenvolvi um grande apreço por gays. Não estou falando de bichinhas saltitantes que performam na boate e falam ‘ai, que mara’ ou usam gírias tipo ‘aquendar o boy magia’, essas coisas, mas daqueles caras que, se não gostassem de uma pica, você jamais saberia que é gay.

Geralmente os gays são mais limpinhos, mais cheirosos, mais bonitos (porque se preocupam mais com a imagem), gentis, educados, sensíveis, cultos, inteligentes, antenados, têm mais bom gosto, enfim, são como aquele Ken da Barbie que você cobiçou a infância inteira, mas quando cresceu, descobriu que também era gay. Daí vocês vão me dizer: grande merda, eles não vão querer ficar com você. Olha, há controvérsias. Já fiquei com alguns gays e posso garantir que, além de beijarem melhor, ainda não vão querer enfiar a piroca na sua boca em cinco minutos de pegação como qualquer hétero faria. Oi? Nem te conheço, sai com esse pinto sujo pra lá!

É natural que os homens sempre estejam sempre mais dispostos a transar do que as mulheres. Para eles não importa se eles não tomam banho há dois dias, se a cueca está suja, se eles estão gordos. Qualquer hora é hora! Nós não. Se estamos ficando com um cara e sabemos que vamos transar, existe todo um sofrimento com lingerie, depilação, meuDeustôgordademais, meuDeustômagrademais, enfim, mulher disponível 24h para o sexo são apenas aquelas que são pagas para isso né, mon amour? Já cheguei ao extremo de pensar: queria ter nascido homem. Aí vocês me perguntam: pra pegar mulher? E eu respondo: não, para virar gay mesmo. De preferência um travesti bem glamouroso. Hoje em dia existem mais gays do que héteros e seria bem mais fácil achar um bophe escândalo sendo homem gay do que um príncipe encantado sendo mulher hétero.

Mas tá, falei dos prós de ficar com gays, agora vamos aos contras: você nunca vai se sentir segura achando que o cara pode te trocar pelo ‘Ricardão’ a qualquer momento, na cama, não importa o que você faça, o quanto seja bom e ele demonstre estar satisfeito, sempre vai rolar aquela paranóiazinha de que falta um fio-terra ou uma bela cinta-pica pra que ele goste mesmo de transar com você. Derrota! Depois de várias tentativas, hoje eu diria que não namoraria um gay. Nem declarado, nem enrustido.

Não tenho mais psicológico pra isso, porque, veja bem, quando um hétero te troca por outra, você faz aquela famosa pergunta: ‘o que ela tem que eu não tenho?’, agora, quando um gay te troca por outro, você sabe muito bem que jamais terá o que o outro cara tem. Aí, meus amigos, me restam apenas duas soluções: os chamados ‘bissexuais’ (que seriam o meio termo de tudo e a solução dos meus problemas) ou fazer uma cirurgia de mudança de sexo e virar homem, pra depois sim arrumar um namorado gay. Pra ser bem sincera, acredito mais na lenda do saci-pererê do que em bissexualismo.

Até acredito e conheço casos de caras gays que se apaixonam por mulheres e até se casam, só que não chamaria isso de bissexualismo, mas de exceção, porque, se um dia ele largar delas, com certeza não vão querer se consolar com outra racha, mas sim com uma bela de uma pica. E a mesma coisa serve para as lésbicas que se dizem bissexuais só porque têm tesão em um amigo específico. Pode até ficar com ele, mas na hora do ‘vamô vê’, gosta mesmo é de botar a aranha pra brigar. E pelo amor de Deus dessas adolescentes posers que se dizem bissexuais pra serem ‘descoladas’ e afirmam com veemência que beijariam a Angelina Jolie; amigas, trago novidades: com esse assanhamento vocês são fortes candidatas a engravidar antes dos vinte, casar com o primeiro que aparecer e ter uma penca de filhos durante a vida.

Me cansei de verdade de esperar o meu príncipe hétero, que seja bom de cama, tenha bom gosto musical, goste de eventos culturais e me faça algum elogio diferente de ‘gostosa’. Cansei também de tentar aquendar gays que, cedo ou tarde, vão me trocar pelo Moreno Alto HxH da sala de bate-papo. Não estou certa de que bissexuais existem. Então, qual era a outra opção mesmo? Ah, é: dr Hollywood, por favor, venha cá me implantar um pênis. Beijo!

Fonte: Ana Laura Rodrigues

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

03/12/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários