SUA PRIMEIRA VIAGEM PARA O EXTERIOR: EXPECTATIVA E REALIDADE

SUA PRIMEIRA VIAGEM PARA O EXTERIOR: EXPECTATIVA E REALIDADE

Quem nunca sonhou em colocar uma mochila nas costas e viajar por meses pela Europa, Asia, Oceania, etc… Conhecer novas culturas, fazer novos amigos e aprender idiomas.

Lamento azedar seu sonho, mas existe um abismo gigantesco entre a expectativa e a realidade. Confira:

EXPECTATIVA
REALIDADE
Ficar empolgado enquanto planeja e organiza cada detalhe da viagem. Ter a intuição de que está entrando em uma roubada e que seria bem melhor passar um mês na casa da Tia Cotinha em Guarapari.
Curtir um prazeroso e relaxante vôo em um jumbão 747 ultra moderno Passar 12 horas em claro, apertado na econômica, comendo aquelas repugnantes barras de cereais e de quebra preocupado com o cara barbudo, de turbante, sentado ao seu lado.
Se hospedar em um multicultural e autêntico albergue Dividir o quarto do alberque com dois italianos e ter que testemunhar toda noite, a noite toda, eles comendo uma mulher diferente.
Clima ameno e agradável da primavera Um calor filha-da-puta que você nunca imaginou encontrar. Te desidratando e fazendo você gastar 80 dólares por dia com água mineral pois a água da bica te deu caganeira.
Vagar despreocupadamente pelas exóticas ruas de uma cidade estrangeira. Se perder o tempo todo, pois você não fala inglês, nem francês, nem italiano. Na verdade você mal fala português…
Experimentar uma nova e deliciosa culinária. Sobreviver à base de hamburguer do Mcdonalds, pois a sua grana foi quase toda gasta em água mineral.
Apreciar as belas paisagens européias enquanto viaja de trem Dormir o tempo todo da viagem, pois você não tem mais dinheiro pro hotel por que gastou tudo em água mineral. E descobrir em pânico, que ao invés de chegar em Paris, pegou o trem errado e foi parar numa cidadezinha no cu da Romênia.
Visitar fabulosos monumentos históricos e explorar espetaculares sítios arqueológicos que você só tinha visto em fotos Esperar mais de 5 horas, numa fila cheia de chineses, sob um sol escaldante só pra perambular por uma pilha de escombros.
Conhecer os moradores locais, amistosos e solícitos. Ser mal tratado pelos ingleses, ofendido pelos franceses e ignorado pelos espanhóis
Esbarrar com um velho amigo de infância em uma cidade da Riviera Italiana Esbarrar com uma ex-namoradinha do colégio, em uma cidade da Riviera Francesa, agora casada com um conde italiano milionário e ela descobrir que você, aos 38 anos ainda mora com seus pais
Aprender aos poucos, novos idiomas com os locais. Tentar impressionar uma gata local com seu “francês” e pedir ao garçom “uma taça de mijo tinto” e o garçom traz… O mijo!
Ganhar uma perspectiva de vida multicultiral e globalizada! Confraternizar apenas com outros brasileiros e com o argentino gordo que topou rachar o hotel com você.
Encher a cara em um bar e conhecer os prazeres locais. Pagar 50 dólares para comer uma prostituta velha e desdentada e dizer: “Quando em Roma…”
Criar memórias que vão durar para o resto da vida. Ter que inventar histórias pra se gabar com os amigos.
Adquirir valioso conhecimento histórico – cultural Perceber que teria sido bem mais barato e confortável fazer um cursinho pela internet
Voltar para casa já com saudade e melancolia. Não ver a hora de chegar em casa, pra baixar da internet os seriados que você perdeu nessa viagem de merda

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

03/12/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários