PERGUNTAS CRETINAS QUE NUNCA DEVEM SER FEITAS

PERGUNTAS CRETINAS QUE NUNCA DEVEM SER FEITAS

Na selva da vida cotidiana há uma classe de pessoas portadoras do incontrolável transtorno de falar tudo o que pensam e fazer perguntas inconvenientes que costumam jogar gasolina no inferno existencial das suas vítimas.

Na realidade, tais criaturas agem como vampiros psicológicos sempre dispostos a sugar toda a vitalidade das presas que lhes caem sob as garras.

Você não fez Backup?
Assim, você dá um tiro de misericórdia na sua vítima, que já está sofrendo suficientemente com a tragédia de perder os seus dados.

Você ainda não arranjou um emprego?
Deus meu! Essa maldição costuma se abater como as 7 pragas do Egito sobre os desempregados. Não bastasse a tragédia e a vergonha do desemprego, eles ainda são submetidos à curiosidade mórbida, que longe de ajudar, só lhes suga a desgraça.

Por que você não fez seguro?
Fazer esta pergunta para quem teve o carro roubado e que não nao tinha seguro está nos níves mais altos na escala do sadismo. É quase o mesmo que enfiar alfinetes debaixo das unhas da vítima. Só sofrimento e dor.

Nossa, você engordou?
Quem faz isto, se denuncia imediatamente como um chato de galochas, pois é uma atitude deselegante, deseducada, simplória e jamais ajuda ninguém.

Já vai sair?
Pergunta comumente feita por funcionário invejoso ao colega mais eficiente do que ele, que consegue se desvencilhar das suas tarefas antes do fim do expediente.

Nossa, como você envelheceu!?!?
Nada mais deselegante do que este tipo de sinceridade corrosiva, afinal, como quem com ferro fere, com ferro será ferido, o interlocutor deve pensar a mesma coisa, não obstante, por obsequiosa educação, opta permanecer calado com seus botões.

Qual é a sua idade?
Até aos 18 anos, as pessoas anseiam chegar à maioridade, ter carteira de motorista, independência, etc. Depois dos 20, elas só conseguem se enfadar diante de tal indiscrição.

Você estava dormindo?
Ninguém, absolutamente ninguém tem a menor vontade de colocar no ventilador detalhes íntimos da sua vida, tais como a hora em que que acorda, ou deixa de acordar. Só alguém com sutilidade elefantina adota a iniciativa inconveniente de colocar a carapuça de preguiçoso no seu interlocutor e, futuramente, um provável inimigo.

Chegou cedo para o expediente da tarde?
Este tipo preocupação só escancara uma monumental capacidade de estar no bico dos outros. Admita que as pessoas podem ter muitos problemas para chegar pontualmente ao serviço, que não serão amenizados com piadinhas infames.

Pensei que tivesse abandonado o emprego?!!
Perguntinha capciosa feita por chefes imbecis por ocasião da volta ao serviço de funcionário que temerariamente se permitiu tirar 30 dias de férias

Vocês vão querer ter filhos?
Quem não tem filhos tende a usar diferentes estratégias para suprir tal pergunta infame: não, porque não queremos aumentar a quantidade de esgoto no planeta, não, porque nossos parentes já se deram ao trabalho de livrar a humanidade do risco de extinção, não, porque não somos portadores do gene egoísta. Coloco este tipo de pergunta ao nível da impertinência pura, já que o estado de não ter filhos pode envolver aspectos dolorosos, tais como esterilidade e morte de crianças. Ademais, o processo de adoção de crianças neste país é assunto tão complexo, impalpável e improvável, que quem envereda por ele certamente tem maiores chances de ganhar sozinho na loteria.

Considerações finais.
Se você se reconheceu nessas linhas como portador do transtorno de falar tudo o que pensa (GCTFP=grandessíssimo chato terrivelmente filho da puta), saiba que se trata de um problema grave o suficiente para fechar caminhos, emperrar promoções e queimar definitivamente chances futuras, porque você pode estar aporrinhando hoje um colega, que será seu chefe amanhã. Portanto, como cautela e sopa de galinha não fazem mal a ninguém, a melhor coisa a fazer é morder a língua e colocar as barbas de molho.

À vítima do GCTFP, nada mais resta do que o afastamento rápido da sua peçonha, antes que ele envenene o seu dia.

“Qualidades” tipicamente associadas à ave de mau agouro abordada neste texto: impertinência, imperturbabilidade, despropósito, simploriedade, inconveniência, truculência, indiscrição, impassividade e o mais importante, implacabilidade.

09/06/2018

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET


Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários