AS 10 RAÇAS DE CÃES MAIS INTELIGENTES

AS 10 RAÇAS DE CÃES MAIS INTELIGENTES

De acordo com o veterinário e cientista britânico, Stanley Coren, autor do livro ‘A inteligência dos cachorros’ as raças mais inteligentes são as listadas abaixo.

Estas raças necessitam de apenas cinco repetições ou menos para entender um novo comando. Eles obedecem ao primeiro comando 95% das vezes ou até mais.

 

10) Australian Cattle Dog
É um cão para trabalho com gado (pastoreiro), sendo largamente utilizado nas fazendas dos EUA, Austrália e Canadá.

De temperamento calmo, porém desconfiado com estranhos, e muito apegado ao dono e sua morada, o Australian Cattle Dog pode ser o cão ideal para guarda de propriedades rurais, visto que trata o local aonde vive como seu palácio.

‘Vem sendo muito utilizado no Brasil por fazendeiros, devido a sua incansável vontade de trabalhar e também a sua obediência com o dono ou tratador’.

Infelizmente, cerca de 90 a 95% da população desta raça no Brasil não é registrada, o que torna trabalhoso o reconhecimento da raça.

 

9) Rottweiler
As origens desta raça são remotas, e várias as hipóteses propostas. Os alemães asseguram que o Rottweiler é de criação absolutamente germânica, tendo a cidade de Rottweil como a origem do nome da raça. O Rottweiler teria, assim, se originado do Mastim do Tibet, que servia os romanos como guarda e para condução do gado.

É um cão acima do tamanho médio, nem pesado nem leve. Não é alto, seu corpo é curto, compacto e robusto.

Sua inteligência é notável, e sua devoção e dedicação ao trabalho são extraordinárias, assim como sua obediência, incorruptibilidade, sua força e sua tenacidade. O aspecto geral da raça demonstra,

à primeira vista, espontaneidade e coragem. Seu olhar tranquilo denota suavidade e fidelidade absoluta. Seu caráter está isento de inquietação e nervosismo, não tem malícia, nem falsidade. Seus olhos, de tamanho médio e cor castanho-escuro expressam ternura e fidelidade.

A pelagem do Rottweiler é curta, densa, de pêlo reto. Sem sub-pêlo no pescoço, e de tamanho mais longo somente nos membros anteriores, posteriores, e na cauda, enquanto no resto do corpo tem uma pelagem mais curta e bem aderente. A altura desejada, medida na cernelha, é de 60 à 68 cm. para os machos, e de 55 à 65 para as fêmeas, sempre em harmonia com a estrutura geral.

 

8) Papillon
Ele viveu sobre colos nobres das cortes européias, como o de Maria Antonieta, Luís 14 e Madame de Pompadour. Foi retratado por mestres do calibre de Rembrandt, Boucher, Fragonard, Ticiano, Van Dyck, Watteau e West.

Quais as razões para tanto prestígio? Para começar, o tamanho diminuto, fácil de carregar. Depois, a união do temperamento meigo e tranqüilo com jeito garboso e diferenciado pelas orelhas em formato de asas de borboleta. Daí o nome Papillon, que em francês é borboleta.

O Papillon sempre se destacou pelo desejo de agradar ao homem. Tanto que entre as raças pequenas só perde em obediência para o Poodle, segundo o canadense Stanley Coren, pesquisador da inteligência canina. “Fica desconcertado quando leva uma bronca”, diz Roberto Simonetti, do Canil St.Thomas, São Paulo – SP. “É raro ter que repreendê-lo mais de uma vez.”

O nome oficial da raça pela Federação Cinológica Internacional (FCI) é Spaniel Anão Continental. O Papillon é considerado a variedade de orelhas eretas. Há outra variedade de orelhas caídas chamada Phalene (em francês, mariposa). Já nos EUA, Papillon designa as duas variedades.

Supõe-se que a raça tenha nascido da fusão do já extinto Spaniel Anão da Bélgica com algum cão de raízes orientais. Sinais dessas raízes são a ossatura leve, tamanho diminuto e rabo curvado. Sua primeira representação conhecida é do início do século 14, em afrescos de uma igreja de Assisi, na Itália, pintados por Giotto. Freqüentou por cerca de duzentos anos as cortes européias, sempre de orelhas caídas. Lá tornou-se muito estimado e um dos seus símbolos, tanto que foi quase dizimado no século 18 pela Revolução Francesa. As orelhas eretas surgiram no final do século 19, perpetuadas por criadores belgas. A raça ganhou novo impulso na França, Bélgica e Inglaterra a partir da Primeira Guerra. É considerada oficialmente como franco-belga. O charme das orelhas levantadas fez o Papillon ser mais cobiçado que o Phalene, bastante raro no mundo.

 

7) Labrador Retriever
Retriever do Labrador (ou carinhosamente, Labrador ou Lab), é uma das mais conhecidas raças de cão. Notabiliza-se por sua amabilidade, inteligência e obediência. Devido a estas características, são frequentemente treinados para cães de caça, de assistência, como cães-guia ou de serviço. A raça Labrador é uma das mais populares em todo o mundo, em especial nos Estados Unidos e Europa.

Ótimo cão de companhia, mas atenção, pois estes cão adora estar na presença de humanos e odeia estar sozinho. Não é, de todo, adequado para alguém que esteja fora de casa por longas horas durante o dia.

 

6) Shetland Sheepdog
O Shetland Sheepdog, descendente do Collie Escocês Pêlo Duro ou do Yakki islandês, desenvolveu-se nas Ilhas Shetland, distante das costas da Escócia. Trazido para essas ilhas por navios baleeiros, cuidava de rebanhos de pequenas ovelhas nativas. A raça atingiu sua forma moderna no início deste século, quando sua exportação mundial teve início.

Hoje, assemelha-se a seus primos da raça Collie, que têm um porte maior, mas não chega a crescer tanto. Atinge uma altura aproximada de 40 cm e tem pelagem longa, que exige trato freqüente. Devido a suas antigas características como pastor, é ágil corredor e saltador, sendo também um animal de estimação obediente e dócil.

 

5) Doberman
Um elegante cão de trabalho, de andadura elástica e leve, capaz de cobrir terrenos extensos, especialmente apto a defesa e a guarda. Tem qualidades físicas e psíquicas fantásticas. É atento, obediente, muito fiel e de fácil adestramento devido à sua inteligência, à sua aptidão natural para a guarda, ao seu ótimo olfato, à sua vontade de trabalhar e à sua obediência. De constituição muito robusta, o Dobermann é muito resistente, suporta bem às interpéries e, em qualquer circunstância está disposto a sacrificar a própria vida

para proteger o dono. É um cão de estrutura média, forte e bem musculosa. Os olhos tem forma ovalada e tamanho médio, castanho, o mais escuro possível. O dorso é curto e forte e a pelagem curta, dura, espessa, lisa e nunca aderente. As cores são o preto, o castanho-escuro, ou o azul, com discretas manchas vermelho-ferrugem.

A altura, medida na altura da cernelha, é de 68 cm. no machos, com um máximo de 70 cm. As fêmeas, medem de 63, à 66 cm., com um máximo de 67 cm.

NÃO ACABOU NÃO. CONTINUA AQUI!

Comentários