16 TRUQUES CIENTÍFICOS QUE VÃO FAZER AS PESSOAS GOSTAREM DE VOCÊ NA HORA

16 TRUQUES CIENTÍFICOS QUE VÃO FAZER AS PESSOAS GOSTAREM DE VOCÊ NA HORA

É difícil definir o que nos faz gostar tanto de alguém — e é justamente esse tipo de coisa que vários cientistas gostam de estudar. Por isso separamos uma lista de fatos que já são, comprovadamente, influentes no que sentimos por outras pessoas e vão te dar uma ajudinha se você quiser que alguém “vá com a sua cara”.

 

Copie a pessoa com quem você está
Essa estratégia tem a ver com “fazer mímica” imitando a outra pessoa, ou seja, copiar sua linguagem corporal, seus gestos e suas expressões faciais. Essa dica foi desenvolvida em 1999 por pesquisadores da Universidade de Nova York e se chama “efeito camaleão”.

Passe mais tempo por perto de quem você quer ser amigo
Parece muito simples — e é. Quando mais tempo você passa perto de alguém, maiores são as chances de ela gostar de você. Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, publicaram um estudo referente ao assunto em 1992.

Elogie outras pessoas
As pessoas associam os elogios que você faz a outras pessoas com a sua personalidade. Esse efeito se chama “transferência espontânea de traço” e uma pesquisa mostrou que essas características são relacionadas à pessoa mesmo que a outra saiba que não faz muito sentido.

O contrátio também existe: se você sempre falar mal dos outros, as pessoas associarão coisas ruins a você.

Tente mostrar emoções positivas
De acordo com um trabalho de pesquisa da Universidade de Ohio e da Universidade do Havaí, as pessoas podem sentir inconscientemente as emoções daqueles ao seu redor. Isso porque temos a tendência de imitar os que estão ao nosso redor. Logo, se quer fazer os outros se sentirem bem, faça o máximo para passar emoções positivas.

Seja caloroso e competente
Psicólogos da Universidade de Princeton propuseram um modelo de estereótipos, uma teoria em que as pessoas julgam as outras com base no calor e na competência

De acordo com o modelo, se a pessoa á calorosa, ou seja, não competitiva e amigável, as pessoas sentirão que podem confiar nela. Se parecer competente, por exemplo, se tiver alto status econômico ou educacional, os outros estão mais inclinados a respeitar o outro.

Revele seus defeitos de vez em quando
De acordo com o efeito pratfall, as pessoas gostam mais das outras depois que elas cometem um erro —, mas apenas se acreditam quesão competentes. Revelar que você não é perfeito te torna mais confiável e vulnerável para quem está ao seu redor. Elliot Aronson, da Universidade do Texas, descobriu esse fenômeno quando estudou como erros simples podem afetar a atração.

Enfatize valores compartilhados
Uma pesquisa clássica comandada por Theodore Newcomb mostrou que pessoas que têm valores e pensamentos parecidos tendem a se entenderem melhor. Curiosamente, um estudo mais recente de pesquisadores da Universidade da Virgínia e da Universidade de Washington descobriu que os recrutas da Força Aérea gostam mais uns dos outros quando têm traços de personalidade negativos semelhantes mais que quando compartilharam características positivas.

Casualmente toque a pessoa
O toque subconsciente ocorre quando você toca uma pessoa com tanta sutilidade que ela mal percebe. Exemplos comuns como tocar as costas ou o braço de alguém, pode fazer com que a outra pessoa goste mais de você. Dois estudos, um conduzido na França e um nos Estados Unidos, provam a teoria.

Sorria
Em um estudo da Universidade do Wyoming, cerca de 100 mulheres de graduação examinaram fotos de outras em quatro poses diferentes. Os resultados sugeriram que, independentemente da posição do corpo, as voluntárias gostavam mais das modelos quando estavam sorrindo, independente da pose. Outras pesquisas já provaram o mesmo, dentre elas uma que diz que sorrir ao conhecer alguém faz com que a pessoa se lembrem mais facilmente de você.

Veja os outros como eles querem ser vistos
As pessoas querem ser percebidas de uma maneira que se alinha com suas próprias crenças sobre si mesmas. Este fenômeno é descrito pela teoria da auto-verificação. Segundo um estudo norte-americano, todos nós buscamos confirmações de nossos pontos de vista, positivos ou negativos.

Outra pesquisa ainda que sugere que quando as crenças dos outros sobre nós se alinham com as nossas o relacionamento com eles flui mais facilmente, provalvemente porque nos sentimos entendidos, o que é um componente importante da intimidade.

Conte um segredo para a pessoa
Se abrir é uma das formas mais fáceis de fazer amizade. Um estudo realizado nos Estados Unidos com universitários propôs que eles conversassem por 45 minutos e perguntassem algumas coisas uns aos outros. Aqueles que responderam a questões mais pessoais mostraram ter mais afinidade e intimidade ao fim da pesquisa.

Qualquer um pode usar essa técnica, basta começar com um assunto mais “leve” e ir tornando-o mais íntimo. Quando você compartilha algo pessoal com outro indivíduo, ele tende a se sentir mais próximo de você.

Mostre que você também pode guardar segredos
Duas pesquisas mostraram que tendemos a valorizar mais as pessoas que são confiáveis e que transmitem confiança. Como a especialista Suzanne Degges-White escreveu no PsychologyToday.com: “A confiabilidade é composta por vários componentes, incluindo honestidade, confiançae e lealdade, e, enquanto cada um é importante para relacionamentos bem-sucedidos, a honestidade e a confiança foram identificadas como as mais vitais no esfera das amizades “.

Mostre senso de humor
Algumas pesquisas já mostraram que as pessoas têm interesse em ter relacionamentos (amorosos ou não) com pessoas que tenham bom senso de humor. Por isso, descobriram também que se mostrar engraçado ou bem-humorado ao conhecer alguém faz muita diferença.

Deixe o outro falar sobre ele mesmo
Especialistas de Harvard descobriram que falar sobre você mesmo pode ser inerentemente gratificante, da mesma maneira que a comida, o dinheiro e o sexo são. Os resultados mostraram que as regiões do cérebro associadas à motivação e à recompensa eram mais ativas quando os participantes compartilhavam informações publicamente —, mas também funcionava se ninguém ouvisse.

Em outras palavras, deixar alguém compartilhar uma ou duas histórias sobre sua vida em vez de balbuciar sobre as suas poder dar resultados positivos.

Seja um pouco vulnerável
No PsychologyToday.com, Jim Taylor, da Universidade de São Francisco, argumenta que a se mostrar vulnerável— ou não — pode explicar porque duas pessoas se dão bem: “A abertura emocional, é claro, vem com riscos que envolvem tornar-se vulnerável e não saber se essa exposição emocional será aceita e recíproca ou rejeitada e desviada”, admite.

O risco pode valer a pena, já que pesquisas mostram que se mostrar expressivo e aberto faz com que as pessoas gostem mais de você — tanto em relações amorosas quanto nas amizades.

Aja como se você gostasse do outro
Já faz tempo que os cienstistas conhecem o fenômeno conhecido como “reciprocidade de gosto”, ou seja, quando uma pessoa acha que gostamos dela ela tende a gostar de nós também. Em 1959 um estudo norte-americano provou tal fato, mas recentemente a mesma teoria foi testada e confirmada pelos especialistas.

Fonte: Galileu

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET

21/10/2017

Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários