10 SOFTWARES QUE FIZERAM MUITO SUCESSO MAS ACABARAM CAINDO NO LIMBO TECNOLÓGICO E MORRERAM

10 SOFTWARES QUE FIZERAM MUITO SUCESSO MAS ACABARAM CAINDO NO LIMBO TECNOLÓGICO E MORRERAM

Dia desses, fui à casa de uma tia. Ao chegar, deparei-me com uma CPU pré-histórica. Bege, toda manchada pelo tempo e envolta em uma grande quantidade de poeira. Dei uma assoprada naquela caixa e localizei um adesivo gasto. Nele, pequenos detalhes do coração daquele PC: processador Pentium III, 10 GB de HD e 256 MB de memória RAM.

O computador – outrora uma super máquina – desonrosamente servindo como poleiro para 3 gatos nojentos e fedidos (Sim, eu detesto gatos. Mas isso é uma história que eu conto depois), agonizava no canto da casa com sua configuração ultrapassada e indigna para alguns programas da atualidade. Mas ele não estava só no sofrimento. Ao ser ligado, o Windows 95 mostrou que dentro dele ainda moram alguns programas que, praticamente, sumiram da lista dos downloads preferidos de muitos internautas.

Contei o fato para alguns amigos. E, em conjunto, decidimos elaborar uma lista dos programas que já tiveram dias de glória, mas, hoje, mortos e esquecidos estão num tipo de inferno tecnológico.



Winamp

O sucesso do MP3 no mundo também se deve a esse player. Entre 1997 e 2002, ele era o player preferido de quem baixava um som na web. Só que os desenvolvedores do programa pisaram na bola e o encheram de recursos, o deixando pesado e lento. Com isso, muitos o abandonaram. Atualmente na versão 5.57, o player executa vídeos e áudio e organiza músicas e, por isso, ainda equipa muito micro por aí. Mas nem de longe repete o sucesso de outros tempos.



ICQ

Sabe o sucesso que o Whatsapp faz hoje? Ele já foi um dia do ICQ. Entre os anos 2000 e 2003, o software de comunicação instantânea reinava sozinho no mercado, tanto em desktops de empresa quanto de residências. Ele perdeu mercado por causa de uma estratégia da Microsoft – que distribuía o MSN integrado ao sistema operacional. O software, na sua sétima versão, ainda faz sucesso. Só que num lugar bem longe daqui: lá na Rússia.



WinZip

O utilitário para compactar e descompactar arquivos ainda é muito lembrado por seus usuários. Mas ele já não desperta a mesma paixão. Tem uma razão. O programa ficou pesado e com o sistema de compressão ultrapassado. E os usuários o trocaram por outros software do gênero, como WinRAR e o 7Zip.



Real Player

O programa, nos primórdios da internet, era um item essencial para ouvir um som ou ver um vídeo – já que o padrão de streaming da época era a tecnologia da Real Player. O tempo passou, novas tecnologias nasceram e o programa foi sendo esquecido por desenvolvedores web e, principalmente, internautas – que se irritavam com as propagandas e a quantidade de recursos desnecessários do software. O programa, ainda vivo, tenta dar a volta por cima com um player que tem integração com o YouTube e parcos recursos de edição de vídeo.



Babylon

Há alguns anos, o Babylon era uma ferramenta essencial no micro de quem precisava traduzir um texto do Inglês – entre outras línguas – para o português. Só que a web começou a ganhar ferramentas de tradução, como o Google Tradutor e isso foi o fim para o Babylon em muitos desktops. O software, na versão 8, tem integração com o Wikipédia, dicionários como o Oxford e o Aurélio e suporte a mais de 75 idiomas. Por causa dos recursos, o programa ainda tem seus fãs.



Eudora

Foi o programa de correio de muita gente que tem e-mail há tempos. O software, no entanto, perdeu força com o lançamento do Outlook Express – que vinha junto com o Windows – e com o surgimento do webmail. Em 2006, ele foi descontinuado pela Qualcomm, dona do programa. Contudo, uma versão de testes do programa, feita em parceria com o pessoal da Mozilla, pode ser baixada.



Norton Utilities

Este programa, na década de 90, era muito respeitado por quem tinha um computador. Não à toa. Ele era capaz de executar coisas que o Windows não conseguia, como editar arquivos hexadecimais. Com a evolução do Windows e dos hardware, o software perdeu espaço e mudou. Bastante. Hoje ele é um programa para corrigir falhas e melhorar o desempenho do sistema operacional.



Netscape

Quem se conecta na web desde 1995, com certeza já usou o navegador. Ele era completo: além do browser, tinha um pequeno editor de HTML, ferramenta de grupos e um cliente de e-mail. O Netscape deu adeus ao mundo, basicamente, por causa do Microsoft Explorer, que vinha instalado no Windows. O software, que nos seus últimos anos estava nas mãos do AOL, ainda está disponível para download.



ACDSee

O programa supria uma das deficiências das antigas versões do Windows: a visualização de fotos. Com a evolução do sistema da Microsoft, contudo, o ACDSee foi esquecido. Hoje, na versão 3, o software continua com o mesmo princípio e, por causa de algumas ferramentas (como o suporte ao formato RAW), é indicado aos fotógrafos.



Get Right

Na época da internet discada, o Get Right era um grande aliado: graças a um algoritmo, ele deixava os downloads um pouco mais rápidos e, em caso de queda da conexão, recuperava a parte baixada. Mas a internet ficou rápida e o mundo ganhou outros aceleradores de downloads, alguns tão bons ou melhores quanto o Get Right. E esse foi o fim do sucesso do programa, que ainda sobrevive e custa cerca de 20 dólares.

23/05/2018

GANHE DINHEIRO RESPONDENDO PESQUISAS NA INTERNET


Se você chegou até aqui é porque você gostou, né? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos! Seu clique é MUITO importante!

CLICA AQUI VAI

Comentários